sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

#EoKiko! - Reflexões...


Rapaz, tava um dia desses pensando: Afinal, por que moda faz parte do repertório e é assunto cativo na mesa de debate de 10 entre 10 pessoas? Além do fato óbvio de que hoje a aparência não é só cartão de visitas em baladas ou azaração, mas também em um emprego e no próprio mundo corporativo. Ou você pensa que indo à primeira entrevista de emprego usando um terno caramelo você vai ser contratado de cara? Ok amigo, pois pense de novo...

A própria sociedade faz o duro papel do vilão, selecionando, acolhendo ou rejeitando aqueles que não estão de acordo com a ditadura da beleza e o próprio bom gosto na maneira de vestir. E atire a primeira pedra quem nunca apontou o dedo para alguém que passou na rua usando uma roupa não tão convencional? E fazemos isso o tempo todo, a nossa cultura nos empurra a descobrir em outros os defeitos, e assim acharmos que somos melhores do que todos.
É que às vezes as máscaras cansam tanto...
Conversando com um psicólogo, o qual me apetece muito conversar, discutíamos sobre LIBERDADE. Dizia eu que gostava daquela corrente psicológica que diz que todos somos livres – o Humanismo, porque era esse o ideal que buscava para mim. Trabalho desde muito cedo e estudo, tudo em uma busca incessante de conseguir esse ideal, liberdade. Ao que ele me explicou o porquê discordava dessa corrente eu realmente entendi o ponto dele. É que, para ele, ninguém pode se considerar livre. Por maior o status social, a idade, ou seja lá o que for, ninguém, na sociedade em que vivemos, pode-se considerar livre. Haverá sempre a família, os amigos, os colegas de trabalho, a sociedade em geral, Deus, ou qualquer outro indivíduo ou instituição para lhe cercear e lhe dizer o que e como deve ser feito. É uma triste constatação, mas nada mais que real.

Em um mundo tão grande e cheio de informações, onde pessoas – inclusive eu!! – se esforçam para ter um bom emprego e uma vida independente, esse mesmo mundo vem cobrar satisfações e respostas, e temos que estar prontos para dá-las ou não?...

Para encerrar essa blábláblá brindo-os com uma frase da maravilhosa cantora Vanessa da Mata, que não é o Roberto, mas também tem as suas frases célebres. Ao que lhe perguntaram se alguém já tinha lhe dado o “conselho” de que ela alisasse o cabelo ela disse que sim, mas

“Quem quer me mudar apenas não
entende o trabalho que faço, e não me entende...”


ATENÇÂO - O MINISTÉRIO ZIPPERTI ADVERTE, ISSO NÃO É UMA CRÍTICA À MODA, MAS À SOCIEDADE!


Enfim...

Saudações reflexivas.
Jonas Guedes, te já...

Nenhum comentário: