terça-feira, 22 de novembro de 2011

Fisioterapia em pacientes queimados.

Primeiramente, peço desculpa pela ausência aqui no blog, esse dois últimos finas de semana estive na organização de um congresso, além de estar batendo as fotos da minha formatura, está chegando! Então, foi tudo corrido e não tive tempo para postar. Mas, para compensar o espaço, iremos conversar sobre algo que muitos sabem, já ouviram falar, mas não se detém. Falaremos sobre o que acontece e o que pode ser feito pela Fisioterapia, em pessoas que sofreram queimaduras, sejam elas de grande extensão, ou não.

O assunto em si será um relato da minha experiência no IAQ – Instituto de Apoio ao Queimado, aqui de Fortaleza. Durante 01 ano estive como voluntário na instituição, contando como estágio de uma disciplina da faculdade, parte prática de um curso que realizei e ações extras em meses de férias. Posso dizer que aprendi bastante, contudo, há todo momento, afirmo também que é um novo conhecimento adquirido.

Começamos com aquela pergunta crucial: “O que mesmo a Fisioterapia pode fazer por essas pessoas?”. Leitores, afirmo: Muita coisa!
Pacientes desse tipo chegam em hospitais constantemente, sejam por motivos internos (psicológicos) ou externos (agressões). Desta forma, o caráter do acontecimento tem o seu valor, mas para começar é necessário um cuidado global a eles. Aqui em Fortaleza temos um hospital de referência que acolhe esse paciente, o IJF - Instituto Dr. José Frota. Lá são realizados todos os procedimentos cabíveis em pacientes que adentram na instituição, pacientes queimados que acabaram de sofrer esta agressão. Sabemos que o IJF é o maior hospital terciário de Urgência e Emergência do Estado, sendo referência no atendimento aos pacientes traumatizados. Dentro do hospital existe um setor responsável por pacientes queimados, o CTQ - Centro de Tratamento de Queimados, onde constituem o corpo de profissionais: Médicos, Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais, Enfermeiros, Psicólogos, entre outros.

Após os atendimentos “de emergência” os pacientes queimados são direcionados para o IAQ, onde serão propostos aos mesmos, atendimentos de reabilitação. Sabemos que estes pacientes sofreram alterações por decorrência da queimadura.
Como disse, os pacientes queimados sofrem alterações, sejam elas posturais, comportamentais e principalmente agravos nas funcionalidades, inviabilizando ações que antes eram feitas sem nenhuma dificuldade. A Fisioterapia tem um foco real na reabilitação, retomando nesses pacientes as funções perdidas. Utilizamos vários recursos, sejam aparelhos que inibem a dor, outros que facilitam o trabalho manual, técnicas manuais, entre outras.

Os aparelhos utilizados tem funções essenciais, alguns produzem efeitos de caráter animador ao paciente, visando sempre uma evolução positiva. Mas, para o trabalho ser eficaz, não restringimos apenas a aparelhos, mas trabalhamos também com as mãos.

Os pacientes queimados apresentam aderências, fibroses, cicatrizes, bridas na pele, alguns necessitam de enxertos. Podemos dizer que a área queimada “enruga”, em palavras mais claras. Desta maneira, precisamos quebra/romper literalmente essas alterações, facilitando a vida dessas pessoas. 

Durante o tempo que estive no IAQ vi muita evolução, isto me anima, pois a Fisioterapia ainda não tem o espaço que merece. Lutamos pela vida, e assim, continuaremos na busca da melhoria das pessoas, sejam funcionais ou não.

A Fisioterapia para os queimados é essencial, tendo como prioridade a reabilitação desses pacientes, buscando sempre melhorias na qualidade de vida dos envolvidos. Não podemos esquecer que esse trabalho é feito em grupo, seja paciente-fisioterapeuta, paciente-fisioterapeuta-terapeuta ocupacional-psicólogo-família, só assim teremos bons resultados. Afinal o foco é um só: “ a Vida”.


Abs Saudáveis



Um comentário:

Felipe Cajazeiras disse...

"A Fisioterapia para os queimados é essencial", bom é ouvir isso dos pacientes. Bom texto.