sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

O que é mesmo TENS?


Sabe aquele “choquinho” que você toma quando vai à Fisioterapia. Esse que faz você relaxar e passa sua dor. Seu nome técnico é TENS.
Conversando com alguns amigos, capturei algumas dúvidas gerais, como: “O que faz? O que é? Como se chama aquele aparelho?”. Tomando como base esses questionamentos, resolvi falar sobre a TENS aqui no Zipperti!
TENS = Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea (em português).
Conforme visto, sua tradução explica algumas coisas. Ou não? Esse aparelho produz através “dos choquinhos” uma estimulação. Considerando que essa estimulação gera um efeito ao nosso organismo, sendo este analgésico, de uma forma não invasiva.
Em atendimentos de Fisioterapia seja ele em consultórios, clínicas, hospitais, home care, utiliza-se o TENS, caso haja necessidade, viabilizando efeitos que disseminem a dor apresentada pelo paciente.
Durante o atendimento, o Fisioterapeuta em questão coloca algumas “placas”, chamados de eletrodos. Entre a placa e a pele é aplicado um gel condutor, esse gel possui componentes que viabilizam a passagem da corrente elétrica. Portanto, não é qualquer gel! Alguns profissionais utilizam fita crepe, elásticos, placas/eletrodos de forma adesiva, todas essas maneiras são vistas na tentativa de fixar esses eletrodos na pele do paciente.
Eletrodos
Gel Condutor - Clínico
Logo após, conforme o quadro de dor apresentado, o Fisioterapeuta irá determinar os parâmetros do aparelho, a TENS. Nesse momento é preciso bastante cautela, mesmo sabendo que a TENS não oferece riscos aos pacientes, durante a escolha dos parâmetros é obrigatório entender a dor do paciente. Se for uma dor aguda ou crônica, onde se localiza, se gera comprometimento em alguma parte do corpo, se existe ferimentos no local, dentre outras coisas, que direcionem a um atendimento eficaz.
Para entender melhor o que acontece com o nosso organismo quando recebemos essa estimulação, resolvi adentrar um pouco mais na “Fisiologia” da dor, pegando como exemplo uma dor muscular. 
"Eu dirijo bastante, passo o dia sentado no meu trabalho, quando chego em casa tenho que resolver várias coisas pela Internet, na posição sentado. Não necessariamente, mas comumente essas atividades repetidas e as posturas diárias irão gerar dor na região lombar, nas costas". 
A TENS é uma corrente que inibe essa dor. Como assim? Nosso organismo reconheci a dor, por uma via de informação. Ele também reconhece a estimulação da TENS, por outra via de informação. A diferença entre essas vias de informação é que a da TENS chega mais rápido ao cérebro, inibindo que o cérebro reconheça a informação da dor. Dessa é maneira conseguimos “burlar” de forma gradativa e satisfatória a dor do paciente. Mas fica a dúvida no ar: “Essa dor vai voltar depois?”. Ele pode voltar, se não houver um controle do fator gerador da dor. Se você continuar com a atividade que gera a dor e não permanecer com os atendimentos, essa dor pode retomar suas funções drásticas ao organismo.
Não pense que em um atendimento você estará curado. Engano seu! Um tratamento de dor é sequencial, precisa de acompanhamento, regras, mudança de hábitos, acompanhamento de outros profissionais, caso seja necessário.

Existem estudiosos que determinam o tempo de 20 minutos, outros dizem 30 minutos para fazer o efeito esperado. Na prática utilizo o tempo de 20 minutos, aprendi no decorrer da faculdade e com leituras que esse tempo é o necessário para a TENS fazer seu efeito.  
Algumas indicações da TENS:
- dor aguda, dor crônica; dor lombar; dor de dente; pós-operatórios; dor abdominal; dor de cabeça; bursites; entorses; distensões musculares; dor no coto amputado; dor nas costas; entre outras.
Algumas contra-indicações da TENS:
- caso o paciente em questão seja portador de marcapasso; se o paciente apresentar dor sem diagnóstico, podendo com o uso da TENS mascarar doenças graves; se o paciente for portador de doenças cardíacas (cardiopatia ou disritmias); nos três primeiros meses de gestação; em regiões próximas do olho, entre outras.

Abs Saudáveis   

Nenhum comentário: